"O Espiritismo é uma doutrina filosófica de efeitos religiosos como qualquer filosofia espiritualista, pelo que forçosamente vai encontrar-se com as bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a Alma e a Vida futura. Mas não é uma religião constituída, visto que não tem culto, nem rito, nem templos e que, entre seus adeptos reais, nenhum tomou o título de sacerdote ou de sumo sacerdote (...). O Espiritismo proclama a liberdade de consciência como direito natural; proclama-a para seus adéptos assim como para todas as pessoas. Respeita todas as convicções sinceras e faz questão de reciprocidade." (Kardec)


domingo, 28 de fevereiro de 2010

Mais uma vez ele, "2012", o temido fim... Será mesmo o fim?

Pode o mundo, como o conhecemos, estar com os dias contados?

Não há dúvidas de que o povo maia era uma civilização bastante inteligente e brilhante. Para melhor conhecermos as origens espirituais dessa civilização, indicamos a obra "Os exilados da Capela", de autoria de Edgard Armond, Editora Aliança. Recentemente, pesquisas mostraram que este povo desenvolveu faculdades psíquicas a níveis que nem mesmo suspeitávamos ser possível.

O livro "As profecias maias", de Adrian Gilbert e Maurice M. Cotterell, explica que eles usavam os sonhos como instrumento para prever o futuro e compreender o presente. Será mera coincidência com o que chamamos mediunidade (desdobramento)?

É certo também que os maias acompanhavam  os planetas e as estrelas com uma precisão misteriosa, mesmo não tendo, na época, telescópios ou qualquer outro tipo de aparelho ou instrumento dotado das tecnologias que conhecemos.

Assim é que, segundo a cronologia maia, a era atual começou em 12 de agosto de 3114 a.C., e deve terminar em 21 de dezembro de 2012 d.C., ou seja, daqui há menos de 03 anos. Conforme sua cronologia, a Terra será destruída, novamente, por terremotos, tsunames e explosões vulcânicas catastróficos. Lembramos ainda que, entre as profeccias maias, está o aquecimento global, com mudanças climáticas numa escala sem precedentes, assunto este, inclusive, já mencionado e abordado aqui no Blog, na postagem intitulada "SOS planeta Terra: Será o fim do planeta?", cujo texto é de Guilherme Campos.

Vale esclarecer que o termo  "novamente" ("a Terra será destruída, novamente") foi usado porque, segundo a cosmologia maia, o planeta Terra possui 05 (cinco) grandes ciclos ou eras, cada um com cerca de 5.125 anos. Para eles, 04 ciclos já passaram, sendo que "os 4 ciclos anteriores terminaram em destruição. A profecia maia do juízo final refere-se ao último dia do 5º ciclo, ou seja, no dia 21 de dezembro de 2012", diz Steven Alten.

O quinto e atual ciclo também terminará em destruição? O que irá desencadeá-la? A resposta pode estar em um raro fenômeno cósmico que os maias previram há mais de 2.000 anos: "A profecia maia para 2012 baseia-se em um alinhamento astronômico. Em dezembro de 2012, o sol do solstício vai se alinhar com o centro de nossa galáxia. É um raro alinhamento cósmico. Acontece uma vez a cada 26.000 anos", diz John Major Jenkins, autor do livro "Maya Cosmogenese 2012".

A cada 26.000 anos, aproximadamente, o sol se alinha com o centro da Via Láctea. Ao mesmo tempo ocorre outro raro fenômeno astrológico, o qual consiste numa mudança do eixo da Terra em relação à esfera celeste. O fenômeno se chama "Precessão do Equinócio", fenômeno este que também já foi abordado aqui no Blog, na postagem "SOS planeta Terra: Será o fim do planeta?", texto de Guilherme Campos citado acima. A data exata disto tudo, portanto, é 21 de dezembro de 2012: "A Terra oscila lentamente sobre seu eixo, mudando nossa orientação angular em relação à galáxia. Uma precessão completa leva 26.000 anos", diz John Major Jenkins.

Assim, acreditavam os maias que a mudança de direção do campo magnético solar tende a abalar o eixo terrestre, deixando a Terra sujeita a terremotos, enchentes, incêndios e erupções vulcânicas. Como esta mudança de direção acontece cinco vezes em cada ciclo cósmico, talvez seja por isso que os maias acreditavam que a Terra fora destruída quatro vezes no passado, o que também aconteceria no começo do século XXI, nesta quinta era do sol.

Edgar Cayce (1877-1945), considerado o maior clarividente americano do século XX, previu mudanças no planeta Terra quando nos aproximássemos do novo milênio. Ele acreditava que o deslocamento do pólo magnético provocaria um desastre em larga escala, o que, se acontecer, tendo em vista a grande população que habita a Terra atualmente, seria realmente a maior catástrofe já registrada pela Humanidade. A maioria destes fatos parece ser cíclica, eis que, no decorrer da história terrestre, já aconteceram mudanças e movimentos topográficos. Ele previu ainda que grandes áreas ao longo dos litorais orientais e ocidentais da América desapareceriam, assim como ocorreu com Atlântida, a cidade perdida, sob ondas invasoras do mar.

Mas, o que de fato acontecerá? Terá mesmo chegado o fim dos tempos? Será realmente o fim do mundo? Para muitos será o dia da aniquilação da raça humana devido a uma inversão dos pólos da Terra ocasionada devido a distúrbios nos campos magnéticos do Sol que, gerando colossais tormentas solares, afetarão a polaridade de todo o nosso planeta. Resultado disso é que o campo magnético terrestre se inverterá imediatamente, com conseqüências catastróficas para a humanidade, tal qual nos relata o filme "2012", para quem assistiu: violentos terremotos demolirão todos os edifícios, com imensas fendas se abrindo sob nossos pés, alimentando tsunamis colossais e atividade vulcânica intensa; a crosta terrestre deslizará, arremessando continentes a milhares de quilômetros de sua localização atual. Especula-se que a Europa e a América do Norte sofrerão um deslocamento de milhares de quilômetros em direção ao Norte, e seu clima se tornará polar. O mapa geográfico da Terra, certamente, não será mais o mesmo...

Outros falam que grandes cataclismos serão gerados devido à passagem de um astro, ou cometa, ou planeta, não se sabe ao certo, próximo à Terra. Seria o “abominável da desolação” de Jesus, a “abominação desoladora” do profeta Daniel, a "grande estrela ardente com um facho, chamada Absinto", do Apocalipse de João? A "grande estrela", "o grande rei do terror", “o monstro” ou “o novo corpo celeste” de Nostradamus? O “astro Intruso” ou “planeta higienizador” de Ramatís, o “planeta chupão” citado por Chico Xavier, ou o “Planeta X” procurado pelos astrônomos, ou o “12º planeta” de Zecharia Sitchin, ou o “Nibiru/ Marduk” dos Sumérios, ou ainda o “Hercólubus” da turma da Gnose.

Segundo informação colhida no site http://porque2012.com/, o Sol teria uma companheira mortal que estaria ameaçando a vida em nosso planeta. A hipotética companheira do Sol foi sugerida pela primeira vez em 1985 por Whitmire e Matese, que a batizaram de Nêmesis, a deusa da vingança. Seria até mesmo possível que esta "estrela da morte" já estivesse presente em algum catálogo estelar, sem que ninguém tivesse notado algo incomum. Entre os defensores da existência de Nêmesis estão geólogos que apostam que a cada 26 ou 30 milhões de anos ocorrem extinções em massa da vida na Terra, paralelamente ao surgimento de uma grande cratera de impacto (ou várias delas). Registros geológicos, de fato, indicam uma enorme cratera de impacto no mar do Caribe, com 65 milhões de anos, ou seja, ocorrida no final do período cretáceo, coincidindo com o fim do reinado dos dinossauros sobre a Terra. Esse evento teria aberto caminho para que nossos antepassados mamíferos tomassem conta do planeta e nossa própria espécie pudesse evoluir. Um ou mais cometas teria atingido a Terra, argumentam, envolvendo-a numa nuvem de poeira durante meses.

Enfim, sejam quais forem as teorias surgidas para a explicação do grande fim anunciado desde os primórdios, sejam quais forem as profecias acerca do final dos tempos, todas elas merecedoras do nosso respeito e do nosso minucioso estudo, uma vez que cada povo, dentro do contexto da experiência de sua época e do conhecimento de que detinham conforme mais ou menos instruídos e evoluídos intelectual, moral e espiritualmente, verdade é que, inegavelmente, o planeta vem enfrentando um período de transição para o qual, inclusive, vêm atentando os Instrutores da Espiritualidade Maior, desde antes da Codificação Kardequiana, a qual veio corroborar os alertas e lançar luz ao nosso entendimento.

Não olvidemos que na visão espiritual, os acontecimentos físicos e materiais (catástrofes, fim do dinheiro, materialismo, consumismo, criminalidade, etc) não são de primordial importância. Não que isso não acontecerá. Ao contrário disso, já está acontecendo. Porém, o que ocorerá é uma mudança consciencial: a consciência egoísta e individualista dará lugar a uma nova consciência humilde e solidária. Então a Terra, mundo de provas e expiações, tal qual como a conhecemos hoje, deixará de existir para dar lugar ao surgimento de um novo planeta, um novo mundo: o de Regeneração.

Sobre as revoluções no globo terrestre, Kardec, em "A Gênese", nos elucida que:

          "6. Além do seu movimento ânuo em torno do Sol, origem das estações, do seu movimento de rotação sobre si mesma em 24 horas, origem do dia e da noite, tem a Terra um terceiro movimento que se completa em cerca de 25.000 anos, ou, mais exatamente, em 25.868 anos, e que produz o fenômeno denominado, em astronomia, precessão dos equinócios (Cap. V, n. 11). Este movimento, que não se pode explicar em poucas palavras, sem o auxílio de figuras e sem uma demonstração geométrica, consiste numa espécie de oscilação circular, que se há comparado à de um pião a morrer, e por virtude da qual o eixo da Terra, mudando de inclinação, descreve um duplo cone cujo vértice está no centro do planeta, abrangendo as bases desses cones a superfície circunscrita pelos círculos polares, isto é, uma amplitude de 23 e 1/2 graus de raio.
          11. As grandes comodações telúricas se têm produzido nas épocas em que a crosta sólida da Terra, pela sua fraca espessura, quase nenhuma resistência oferecia à efervescência das matérias em ignição no seu interior. Tais comoções foram diminuindo, à proporção que aquela crosta se consolidava.
          Numerosos vulcões já se acham extintos, outros os terrenos de formação posterior soterraram.
          Ainda, certamente, poderão produzir-se perturbações locais, por efeito de erupções vulcânicas, da eclosão de alguns vulcões novos, de inundações repentinas de algumas regiões; poderão do mar surgir ilhas e outras serem por ele tragadas; mas, passou o tempo dos cataclismos gerais, como os que assinalaram os grandes períodos geológicos. A Terra adquiriu uma estabilidade que, sem ser absolutamente invariável, coloca doravante o gênero humano ao abrigo de perturbações gerais, a menos que intervenham causas desconhecidas, a ela estranhas e que de modo nenhum se possam prever.
          14. Fisicamente, a Terra teve as convulsões da sua infância; entrou agora num período de relativa estabilidade: na do progresso pacífico, que se efetua pelo regular retorno dos mesmos fenômenos físicos e pelo concurso inteligente do homem. Está, porém, ainda, em pleno trabalho de gestação do progresso moral. Aí residirá a causa das suas maiores comoções. Até que a Humanidade se haja avantajado suficientemente em perfeição, pela inteligência e pela observância das leis divinas, as maiores perturbações ainda serão causadas pelos homens, mais do que pela Natureza, isto é, serão antes morais e sociais do que físicas."

Não nos restam dúvidas de que nossa civilização precisa se atentar para as mudanças: é chegado o tempo em que não mais podemos tolerar tanta barbárie por parte do homem; é chegado o tempo em que a maldade dos corações endurecidos precisa dar lugar à caridade e ao amor ao próximo; é chegado o tempo em que devemos colocar em prática os ensinamentos do Cristo, eis que até o presente momento, passados mais de 2 mil anos, ainda não fizemos o que o Mestre nos aconselhou que fosse feito. Nunca antes estivemos mergulhados em tantas crises ao mesmo tempo: superpopulação humana, pobreza e desigualdade social, crise financeira mundial, crise alimentar, crise energética, escassez de água e petróleo, consumismo frenético, ameaças de terrorismo e guerras nucleares, o reaparecimento de doenças mortais, escândalos envolvendo políticos, quedas de governos, mudanças climáticas e o aumento impressionante das catástrofes naturais e da extinção de espécies, além do agravamento da violência e distúrbios civis. Qualquer um que usar a inteligência deve compreender que, independentemente das profecias de 2012 se realizarem, nossa sociedade está caminhando a passos largos em direção ao precipício, realmente em direção ao fim, pois não há mais espaço para tantas tormentas morais. Se voltarmos no tempo veremos que grandes civilizações entraram em colapso quando atingiram o auge intelectual e tecnológico. Num só golpe elas desaparecerem da face da Terra, deixando apenas perguntas sem respostas e um grande mistério.

Hospital "Batuira" de saúde mental pede ajuda, Gioânia/GO

Saudações!

Pedimos novamente a sua ajuda. A sua solidariedade permite que pessoas possam ser ajudadas!

"SOS Batuíra: carnes e frutas"

O "Instituto Espírita Batuíra de Saúde Mental" está solicitando a sua colaboração, de entidades e de empresários para receber doações de carnes e frutas para os mais de 60 pacientes carentes em tratamento na Entidade.

Qualquer quantidade é muito bem vinda. As doações podem ser entregues diretamente no "Batuíra": Avenida Eurico Viana, Quadra 44 - Setor Jardim Goiás - Goiânia/GO.



Fundado em 1949, o "Batuíra" é um hospital 100% SUS e atende gratuitamente homens e mulheres que sofrem de transtorno mental e alcoolismo.

Informações: fone (62) 3281 0655 ou pelo site: www.batuira.org.br

Fraternal abraço,

Sérgio Luís Haas
Presidente voluntário.

Chico Xavier - Palestra pública alusiva a Chico Xavier em Nagano-Ken Ueda-Shi, no Japão, nos 100 anos de nascimento do médium


"Nascer, morrer, renascer ainda
e progredir sempre, tal é a Lei."
Allan Kardec



ADE-JAPÃO CONVIDA

PALESTRA PÚBLICA

Chico Xavier
Um exemplo de vida.

Palestrante - Mauro Reis Pumar

Dia: 14/03/2010
Início: 16:00 horas
Local: Sede do G.E.E.U-Grupo de Estudos Espíritas de Ueda
           Nagano-Ken Ueda-Shi

LOCAL - Nagano-ken Ueda-shi
Dijikai-nakano-jo
Nakano-jo 1203-1 Shieji Taku
Informações:
Fones
080 5108 8047-Japonês
090 8328 4773-Português
equipe_d_ueda@yahoo.com.br

****

Mauro Reis Pumar
Espírita desde 1984, quando ingressei no "Centro Espírita Amor Caridade e Esperança", em Botafogo, Rio de Janeiro, RJ (site www.ceace.org.br).
Colaborando como Expositor da Doutrina desde 1985.
Diretor do CEACE de 1888 a 1993.
Presidente do CEACE de 1994 a 1996.
Conselheiro do 5 CRE (Conselho Regional Espírita) da USEERJ (União das Sociedades Espíritas do Rio de Janeiro) de 1991 a 1996.
Em 1997 mudei-me para Teresópolis (RJ), ingressando no CCEDA (Casa da Cultura Espírita Deolindo Amorim - site www.deolindoamorim.org.br).
Diretor do CCEDA de 1999 a 2002.
Presidente do CCEDA de 2003 a 2008.
Conselheiro do 13 CEU (Conselho Espírita de Unificação) da CEERJ (Conselho Espírita do Estado do RJ - fusão das antigas USEERJ e FEERJ - site www.ceerj.org.br) de 2001 a 2004
Em 2008 mudei-me para o Japão, ingressando na CEFCX (Comunhão Espírita Crista Francisco Candido Xavier - site www.spiritism.jp).

****

Adalberto Prado de Morais
BLOG do Tio Ada:
http://tioadaespirita.blogspot.com/

****


Chico Xavier - Teatro em homenagem a Emmanuel, mentor de Chico Xavier, no ano em que comemoramos o centenário de seu nascimento, em Natal/RN


Segue a arte da nova peça do nosso "Grupo Persona de Teatro Espírita". Iniciaremos a divulgação preparatória nesse fim de semana em alguns eventos promovidos pela nossa Casa Federativa.

Pode socializar a arte com aqueles companheiros que se afinem com essa notícia!

Brevemente mandaremos outras notas, inclusive sobre a construção de um blog que trate da temática... já que não podemos, na peça, explicitamente abordar todo o material de estudo que nos orientou no roteiro e que nos orienta na preparação para a atuação.

Um forte abraço do confrade,

Fábio Fidélis.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

A paz


Vídeo feito pela Professora Delzi para o Projeto "PAZ", com a música "A Paz" da banda Roupa Nova, versão da música "Heal the World" de Michael Jackson.

A Paz

"É preciso pensar um pouco nas pessoas que ainda vêm...
nas crianças.
A gente tem que arrumar um jeito de deixar pra eles um lugar melhor.
Para os nossos filhos e para os filhos de nossos filhos.
Pense bem!"

Deve haver um lugar dentro do seu coração
Onde a paz brilhe mais que uma lembrança
Sem a luz que ela traz já nem se consegue mais encontrar o caminho da esperança
Sinta, chega o tempo de enxugar o pranto dos homens
Se fazendo irmão e estendendo a mão

Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez

Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a Terra inteira feliz

Se você for capaz de soltar a sua voz
Pelo ar, como prece de criança
Deve então começar outros vão te acompanhar
E cantar com harmonia e esperança

Deixe que esse canto lave o pranto do mundo
Pra trazer perdão e dividir o pão.

Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez
Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a Terra inteira feliz

Quanta dor e sofrimento em volta a gente ainda tem,
pra manter a fé e o sonho dos que ainda vêm.
A lição pro futuro vem da alma e do coração,
pra buscar a paz, não olhar pra trás com amor.

Se você começar
outros vão te acompanhar
e cantar com harmonia e esperança
Deixe, que esse canto
lave o pranto do mundo
prá trazer perdão
e dividir o pão.

Só o amor, muda o que já se fez
E a força da paz junta todos outra vez
Venha, já é hora de acender a chama da vida
E fazer a Terra inteira feliz!

(Roupa Nova - versão original: "Heal the World", de Michael Jackson).

Lei da solidariedade

"A liberdade começa onde acaba a ignorância."
(Victor Hugo)

O célebre romancista francês, Victor Hugo, conta em uma de suas obras que, numa pequena cidade do interior, residiam dois homens, distantes um do outro.

Um era cego, embora sadio e robusto. O outro, paralítico de nascença, apesar de possuir excelente visão. Ambos viviam de esmolas.

Forçados pela necessidade de sobrevivência, alguém os aproximou e eles fizeram um acordo.

Sairiam os dois, pelas ruas, para pedir esmolas: o cego carregaria o paralítico às costas e, dessa forma, ambos se completariam, à base do bom princípio de mútua caridade.

O cego via pelos olhos do paralítico e este andava com as pernas do daquele. Era a lei da solidariedade em ação.

(Victor Hugo, escritor, foi contemporâneo de Allan Kardec, estudioso e praticante do Espiritismo - Besançon, 26/02/1802-Paris, 22/05/1885).

Intervenção de Deus nas penas e recompensas

          "964. Mas, será necessário que Deus atente em cada um dos nossos atos, para nos recompensar ou punir? Esses atos não são, na sua maioria, insignificantes para Ele?
          Deus tem Suas leis a regerem todas as vossas ações. Se as violais, vossa é a culpa.
          Indubitavelmente, quando um homem comete um excesso qualquer, Deus não profere contra ele um julgamento, dizendo-lhe, por exemplo: foste guloso, vou punir-te. Ele traçou um limite; as enfermidades, e muitas vezes a morte, são a consequência dos excessos. Eis aí a punição; é o resultado da infração da lei. Assim em tudo."

"Todas as nossas ações estão submetidas às leis de Deus. Nenhuma há, por mais insignificante que nos pareça, que não possa ser uma violação daquelas leis. Se sofremos as consequências dessa violação, só devemos nos queixar de nós mesmos, que desse modo nos fazemos causadores da nossa felicidade, ou da nossa infelicidade futuras. [...]". (Kardec)

(in "O Livro dos Espíritos", de Allan Kardec).

Dica de leitura - "Luz no lar", de Chico Xavier - Relançamento (FEB)


          "Luz no lar" - Obra especialmente dedicada ao Culto do Evangelho no Lar, organizada pelo Espírito Emmanuel, em que diversos outros amigos do Além participam com edificantes considerações à luz dos fundamentos da Doutrina Espírita.

São ao todo 65 capítulos que nos oferecem judiciosos esclarecimentos e que nos ajudam a pensar, a meditar nas verdades do Espírito, junto aos nossos companheiros da romagem humana que vivem sob o teto do ambiente familiar.

Reúne crônicas, poesias e mensagens instrutivas sobre temas intensamente discutidos nos dias de hoje, tais como: aborto; divórcio; família; infância e amor maternal, mostrando a necessidade da renovação do homem por meio da prática dos ensinos evangélicos.

Médium: Francisco Cândido Xavier
Espírito: Espíritos diversos
Páginas: 180
Tamanho: 14x21 (cm)

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Chico Xavier - Homenagem em seu centenário de nascimento em Lisboa, Portugal























(Clique na imagem para amplia-la)

Inimigos desencarnados

          "O espírita tem ainda outros motivos para ter indulgência com seus inimigos. Ele já sabe que a maldade não é o estado permanente dos homens; que ela se sustenta em uma imperfeição momentânea, e que, assim como a criança se corrige de seus defeitos, o homem mau um dia reconhecerá seus erros, e tornar-se-á bom.
          Sabe que a morte não o liberta senão da presença material de seu inimigo, mas que este pode persegui-lo por seu ódio, mesmo depois de ter deixado a Terra. Assim, falha a vingança em seu objetivo, e produz, ao contrário, uma irritação maior, que pode perdurar de uma existência a outra. Cabe ao Espiritismo provar, pela experiência e a lei que rege as relações do mundo visível e do mundoinvisível, que a expressão apagar o ódio com o sangue é radicalmente falsa. A verdade é que o sangue mantém o ódio mesmo além do túmulo; por consequência, o Espiritismo estaria dando uma razão de ser efetiva e uma utilidade prática ao perdão, e à sublime máxima do Cristo: amai vossos inimigos. Não há coração tão perverso que não seja tocado por bons procedimentos, mesmo inconscientemente. Através das boas ações elimina-se, pelo menos, qualquer pretexto para represálias. Pode-se fazer, de um inimigo, um amigo, antes e depois de sua morte. É pelos maus procedimentos que o inimigo se irrita, e é então que ele serve de instrumento à justiça de Deus, para punir aquele que não perdoou."
 
(in "O Evangelho Segundo o Espiritismo", de Allan Kardec, Cap. XII, item 5).

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

SOS Planeta Terra: Será o fim do Planeta?

"Se somos inquilinos, nosso primeiro dever é bem cuidar da nossa casa, zelando por ela, em todos os níveis e situações."

Como podemos preservar o planeta?

"Suponhamos que, por uma causa qualquer, a Terra voltasse ao estado primitivo de incandescência: tudo se decomporia; os elementos se separariam; todas as substâncias fusíveis se fundiriam; todas as que são volatilizáveis se volatilizariam. Depois, outro resfriamento determinaria nova precipitação e de novo se formariam as antigas combinações (químicas)."

A afirmativa, retirada da obra básica do Espiritismo "A Gênese", cap. X, intitulado "Gênese orgânica", parece previsão profética sobre o Apocalipse. Mas se pararmos para pensar, se o raciocínio for feito de um ponto de vista próximo aos dias de hoje, a cena parece não ser tão impossível assim.

Se contextualizarmos a situação do planeta, o aquecimento global tem feito aumentar a temperatura mundial. Isso quando o homem corre contra o tempo para conter a destruição da camada de ozônio, ocasionada por suas próprias mãos.

Na verdade, é exatamente nesse ponto que as principais discussões sobre as causas do aquecimento do planeta giram hoje: ao redor do homem. Apesar disso, alguns cientistas, mesmo não descartando a ação humana, apontam que a Terra vive, assim como ocorreu na formação do planeta, uma ordem natural.

Já de um terceiro ponto de vista está a luz da Doutrina Espírita a nos esclarecer os dois pontos de vista.

O que está acontecendo?

O IPCC (Instituto Intergovernamental de Mudanças Climáticas) produziu, ainda este ano, relatórios que hoje mostram a quantas anda o meio em que vivemos. O Instituto, estabelecido pela Organização Meteorológica Mundial e pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em 1998, foi criado com o intuito de recomendar aos governos do mundo o que fazer para conter os efeitos do aquecimento.

Os textos apontam que o nível dos Oceanos está subindo e a projeção é de que, no mínimo, cem milhões de pessoas que moram a menos de um metro do nível do mar, corram o risco de perder suas casas.

Mostra ainda que a variação total de projeções indica um aumento da temperatura do planeta de 1.1ºC a 6.6ºC. Isso quando estudos mostram que os termômetros já subiram 0,6ºC entre meados do século XIX e início do século XXI, sendo que, do total, 0,5 só nos últimos 50 anos.

De acordo com os quatro relatórios produzidos este ano pelo órgão, os homens são os responsáveis pelo aquecimento global do planeta.

Só no Brasil, de acordo com Cláudio Maretti, superintendente de conservação de programas regionais da WWF-Brasil (World Wildlife Found), organização não-governamental brasileira dedicada à conservação da natureza, as áreas protegidas no Brasil assumem papel primordial na redução das emissões brasileiras de gases de efeito estufa. Segundo ele, em artigo publicado no site da ONG (http://www.wwf.org.br/), cerca de 75% das emissões do País são provenientes das queimadas realizadas no processo de desmatamento na Amazônia. "Hoje, o Brasil ocupa o quarto lugar entre os principais países emissores de gases do efeito estufa. Erradicando o desmatamento, , o país passaria a ocupar o décimo oitavo lugar nesse novo ranking internacional", disse.

Entre os maiores emissores de gases responsáveis pelo efeito estufa estão os Estados Unidos, União Européia, China, Rússia, Japão e Índia. Entre 1990 e 2002, os EUA aumentaram em 15% o nível de emissão de gases, chegando a seis bilhões de toneladas ao ano.

No Brasil, uma das maiores ameaças é a projeção de desertificação do semi-árido brasileiro, que provocaria, além de fome e doenças, um êxodo com consequências sociais e econômicas inimagináveis.

O país figura em quarto lugar entre os maiores emissores de gases estufa, em função das queimadas, principalmente da Amazônia, mas de acordo com o geólogo e professor titular em geotectônica pela UNESP de Rio Claro, Peter Christian Hackspacher, a interferência do homem na natureza não é a única explicação para o problema. Segundo ele, atualmente a Terra entra em uma fase pela qual os dinossauros e outras espécies passaram quando foram dizimadas: o processo de aquecimento e resfriamento  terrestre posterior. "Nós percebemos que a evolução da Terra já passou por vários momentos os dois processos. Foram fenômenos naturais. Na geologia existem várias explicações, que são alternativas à interferência do homem. Ficamos em situações delicadas, mas temos que ter uma hipótese biológica do problema", disse.

Segundo ele, uma das possibilidades para o aquecimento é que a Terra esteja mudando seu campo magnético. "Esse fenômeno deve prever certas catástrofes. O escudo eletromagnético que nos protege de raios cósmicos seria eliminado por um período de tempo. Isso vai fazer com que desapareçam algumas formas de vida", disse. (grifado no original)

Apesar disso, segundo o pesquisador, a questão também depende da conservação do planeta. "Nós não queremos partir para esse lado de catástrofes. Acho que os dados que estão sendo apresentados sobre a temperatura da Terra são fatos, mas temos que pensar nesses mesmos fatos. Até que ponto um buraco na camada de ozônio na Nova Zelândia vai influenciar aqui no Brasil? É preciso ter ponderação", afirmou.

A visão espírita

Já a ponderação entre os dois pontos de vista - a ação humana e a ação natural - nos é apresentada pelo escritor e grande colaborador da doutrina espírita, Eurípedes Khul.

Segundo ele apontou, sobre a ação natural da Terra, Allan Kardec, o codificador do Espiritismo, em "A Gênese", capítulo IX ("Revoluções do Globo"), registra o intrigante fenômeno do terceiro movimento da Terra: a "processão do equinócio", pelo qual passa hoje o planeta. O texto traz explicações sobre a mudança do eixo terrestre, e explica: "É um movimento que se completa e se repete a cada 25.868 anos, consistindo numa espécie de oscilação circular, qual a de um pião a morrer, provocando inclinação do eixo da Terra".

A este fenômeno, o decodificador explica a consequência desta mudança de eixo como o deslocamento gradativo do mar, fazendo-o invadir pouco a pouco umas terras e descobrir outras. As consequências disso seriam as tsunamis, maremotos, terremotos e todos outros cataclismos.

O escritor ainda relembra: "Citado aquecimento vem ocorrendo há muitos e muitos anos, anteriormente ao grande progresso terreno do século XX, no qual ocorreu crescente combustão de elementos fósseis, por milhões e milhões de motores em ação quase que ininterrupta. A Ciência tem evidências que o atual aquecimento global se deve, dentre outras, ás possíveis causas: influência da atividade solar durante o último século; variação na radiação solar", disse Kuhl.

Mas, com qual intuito de tudo isso? A esta pergunta, "O Livro dos Espíritos", questão n. 536, responde: "tudo tem uma razão de ser e nada acontece sem a permissão de Deus". Foi Jesus quem asseverou: "a cada um, segundo suas obras". Assim, as vítimas, às vezes crianças de tenra idade, são aqueles espíritos cujo passado ora se "quita", eis que despertam na espiritualidade com um grande alívio na consciência. Esse entendimento espírita, de forma alguma exclui a compaixão ou a tristeza.

"Essas convulsões geológicas constituem um dos vários vetores que induzem ao progresso humano, eis que na esteira das tragédias sempre emerge o sentimento de caridade e amor ao próximo. Daí que, menos tragédias, menos infelicidades; menos infelicidades, maior oportunidade de progresso moral", afirma Eurípedes Kuhl. Apesar disso, completa: "Seria leviano de nossa parte, como espíritas que somos, não reconhecer que o homem é sim, co-responsável pelo aquecimento global", afirmou o escritor.

Entre ciência, filosofia e religião, como é a base da doutrina espírita, várias soluções são apontadas para os problemas ambientais por especialistas no assunto. Entre elas, a redução do desmatamento aliada à adoção de fontes alternativas de energia, como solar-térmica, eólica, biomassa sustentável.

De acordo com os pesquisadores, isso poderá levar o Brasil e o mundo a combater as causas do aquecimento global.

De acordo com o IPCC, uma das propostas para a contenção do problema: a humanidade terá de diminuir de 50% a 85% de emissões de CO2 (responsável pelo efeito estufa) até a metade do século. A conclusão é a de que há urgência de que a sociedade, governos e empresas tomem atitudes nos próximos 5 anos. Após esse período, talvez seja tarde demais para iniciar o processo de transição sustentável capaz de impedir um aquecimento global maior que 2ºC.

Sobre a atuação do ser humano, do espírita, Eurípedes Kuhl lembra: "Não diríamos que apenas aos espíritas compete o exercício de cidadania para coibir os males causados pelo homem face sua responsabilidade pelo aquecimento global. Essa é uma tarefa de toda a Humanidade, homem a homem! Permanentemente! Como? Conscientizando os homens de que a Terra é um lar abençoado, posto pela Inteligência Suprema do Universo à disposição da criatura humana, ensejando a todas elas o progresso moral e a felicidade. E assim, se somos inquilinos, nosso dever primeiro é bem cuidar da nossa casa, zelando por ela, em todos os níveis e situações".

(Texto de Guilherme Campos, publicado na "Revista Cristã de Espiritismo", n. 52, Ano 08, outubro/2007).

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Oração para não incomodar

Senhor!

Concede-me, por misericórdia, o dom de contentar-me com o que tenho, a fim de fazer o melhor que posso.

Ensina-me a executar uma tarefa de cada vez, no campo das minhas obrigações, para que eu não venha a estragar o valor do tempo.

Livra-me da precipitação e da insegurança, de modo a que não busque aflições desnecessárias ante o futuro, nem me entregue à inutilidade do presente.

Dá-me a força de esperar com paciência a solução dos problemas que me digam respeito, sem tumultuar o caminho dos que me cercam.

Ajuda-me a praticar o esquecimento de mim mesmo, auxiliando-me a fazer pelo menos um benefício aos outros, cada dia, sem contar isso a ninguém.

Se este ou aquele companheiro me aborrece, induze-me a olvidar o que passou, sem dar conhecimento do assunto aos que me rodeiam.

Ensina-me a não condenar seja quem for e quando algum apontamento injurioso ou alguma nota de crítica malévola vierem-me à cabeça, ampara-me a fim de que eu tenha recursos de dissipá-los em silêncio, no plano de meus esforços imanifestos.

Impele-me a calar toda queixa em torno das provas e empecilhos da vida, para que eu não perturbe os que me compartilham a estrada.

Auxilia-me a conservar boa aparência tanto quanto o espírito isento de culpa, a falar co voz calma, a sustentar bons modos e a perder o hábito de impor minhas ideias ou de contradizer as dos outros sem necessidade.

E ajuda-me, Senhor, a viver na obediência aos meus deveres e compromissos, trabalhando e servindo, para não incomodar a ninguém.

Assim seja!

André Luiz (Chico Xavier)

Ante os sofrimentos diários

Antes de apontarmos nosso presente e com ele nos revoltarmos ou nos inquietarmos, busquemos em nossa consciência e no esclarecimento o conforto.

Saibamos que nosso presente se faz em nossas vidas pura e simplesmente como reflexo do nosso passado como resultado da sábia Lei Natural de ação e reação.

Por que vos inquietais, vos aflijais e vos revoltais com vosso presente?

Certamente, razão total assiste à "Vida" e à Lei Maior para que o presente se reflita da maneira como está.

Recebamos nosso presente como verdadeiro presente das mãos de Deus.

Grato!

(Mensagem psicografada no Grupo de Estudos Espíritas "A Caminho da Luz", de Cajobi/SP, em dezembro de 2008).

Chico Xavier - III Congresso Espírita Brasileiro


De 16 a 18 de abril de 2010.
III Congresso Espírita Brasileiro
Centro de Convenções Ulisses Guimarães
Brasília/DF

Fone: (61) 2101 - 6156 - Faça sua inscrição

Mais informações acesse http://100anoschicoxavier.com.br/

André Luiz


          "Se você realmente ama aqueles que lhe compartilham a estrada, auxilie-os a ser livres para encontrarem a si mesmos, tal qual deseja você a independência própria para ser você, em qualquer lugar."

(psicografia de Chico Xavier, do livro "Tempo e nós", IDEAL).

Donativo do coração

Seja a tua palavra clarão que ampare,
chama que aquece,
apoio que escore
e bálsamo que restaure.

Sempre que te disponhas a sair de ti mesmo
para o labor da beneficência,
não olvides o donativo da coragem!
Auxilia ao próximo
por todos os meios corretos ao teu alcance,
mas, acima de tudo,
ampara o companheiro de qualquer condição
ou de qualquer procedência,
a sentir-se positivamente nosso irmão,
tão necessitado quanto nós
da paciência e do socorro de Deus.

Emmanuel

(psicografia de Chico Xavier, do livro "Brilhe vossa Luz", IDE).

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Casas André Luiz - Sejamos doadores, ajudemos a cuidar de pessoas especiais

Queridos amigos e leitores do Blog, A NOSSA DOAÇÃO É MUITO IMPORTANTE!

Permite a manutenção diária da instituição que atende gratuitamente e com qualidade 1.430 portadores de deficiência mental.

As Casas André Luiz dispõem de diversas formas de efetivar a nossa colaboração. Nós escolhemos:

Como pessoa física, fazendo doações ou trabalhos voluntários.

Como pessoa jurídica, doando produtos ou em programas de investimento social.

Na condição de pessoa física, para doarmos, temos as opções do boleto on-line, do sócio mantenedor, das doações espontâneas, do telemarketing e do voluntariado.

Na condição de pessoas jurídica, as opções são o Investimento Social - Programa Empresa Iluminada e das doações empresariais.

Para mais informações sobre como fazermos a nossa doação, basta que acessemos o link http://www.casasandreluiz.org.br/index.php?numControle=33?numControle=136

Além disso, se não formos usar as nossas notas fiscais (nota fiscal paulista), colocando o nosso CPF nelas, o programa "nota fiscal paulista" permite que doemos as nossas notas. Nas Casas André Luiz, "nossa nota vale uma nota", pois ela vira medicamentos, alimentação, tratamentos especiais, roupas e uma infinidade de itens necessários no dia a dia dos pacientes com deficiência intelectual atendidos no ambulatório e na Unidade de Longa Permanência.

Acessando o link http://www.casasandreluiz.org.br/suanotavaleumanota/comodoar.php podemos verificar como é fácil fazer a nossa doação através do programa nota fiscal paulista.

Façamos a nossa parte dentro de nossas possibilidades porque "a cada um será dado segundo as suas obras"! É o trabalho de formiguinha que move multidões.

A razão da dor

Raquel, antiga servidora da residência de Cusa, ergueu a voz para indagar do Mestre por que motivo a dor se convertia em aflição nos caminhos do mundo.

Não era o homem criação de Deus? Não dispõe a criatura do abençoado concurso dos anjos? Não vela o Céu sobre os destinos da Humanidade?

Jesus fitou na interlocutora o olhar firme e considerou:

- A razão da dor humana procede da proteção divina. Os povos são famílias de Deus que, à maneira de grandes rebanhos, são chamados ao Aprisco do Alto. A Terra é o caminho. A luta que ensina e edifica é a marcha. O sofrimento é sempre o aguilhão que desperta as ovelhas distraídas à margem da senda verdadeira.

Alguns instantes se escoaram mudos e o Mestre voltou a ponderar:

- O excesso de poder favorece o abuso, a demasia de conforto, não raro, traz o relaxamento, e o pão que se amontoa, de sobra, costuma servir de pasto aos vermes que se alegram ao mofo...

Reparando, porém, que a assembléia de amigos lhe reclamava explicação mais ampla, elucidou fraternalmente:

- Um anjo, por ordem do Eterno Pai, tomou à própria conta um homem comum, desde o nascimento. Ensinou-lhe a alimentar-se, a mover o membro e os músculos, a sorrir, a repousar e a asilar-se nos braços maternos. Sem afastar-se do protegido, dia e noite, deu-lhe as primeiras lições da palavra e, em seguida, orientou-lhe os impulsos novos, favorecendo-lhe o ensejo de aprender a raciocinar, a ler, a escrever e a contar. Afastava-o, hora a hora, de influências perniciosas ou mortíferas de Espíritos infelizes que o arrebatariam, por certo, para o sorvedouro da morte. Soprando-lhe ao pensamento ideias iluminadas aos clarões do Infinito Bem, através de mil modos de socorro imperceptível, garantiu-lhe a saúde e o equilíbrio do corpo. Dava-lhe medicamentos invisíveis, por intermédio do ar e da água, da vestimenta e das plantas. Vezes sem conta, salvou-o do erro, do crime e dos males sem remédio que atormentam os pecadores. Ao amanhacer, o Pajem Celestial acorria, atento, preparando-lhe dia calmo e proveitoso, defendendo-lhe a respiração, a alimentação e o pensamento, vigiando-lhe os passos, com amor, para melhor preservar-lhe os dons; ao anoitecer, postava-se-lhe à cabeceira, amparando-lhe o corpo contra o ataque de gênios infernais, aguardando-o, com maternal cuidado, para as doces instruções espirituais nos momentos de sono. No transcurso da vida, guiou-lhe os ideais, auxiliou-o a selecionar as emoções e a situar-se em trabalho digno e respeitável; clareou-lhe o cérebro jovem, insuflou-lhe entusiasmo santo, rumo à vida superior, e estimulou-o a formar um reino de santificação e serviço, progresso e aperfeiçoamento, num lar... O homem, todavia, que nunca se lembrara de agradecer as bênçãos que o cercavam, fez-se orgulhoso e cruel, diante dos interesses alheios. Ele, que retinh tamanhas graças do Céu, jamais se animou a estendê-las na Terra e passou simplesmente a humilhar os outros com a glória de que fora revestido por seu devotado e invisível benfeitor. Quando experimentou o primeiro desgosto, que ele mesmo provocou menosprezando a lei do amor universal, que determina a fraternidade e o respeito aos semelhantes, gesticulou, revoltado, contra o Céu, acusando o Supremo Senhor de injusto e indiferente. Aflito, o anjo guardião procurava levantar-lhe o ideal de bondade, quando um Anjo Maior se aproximou dele e ordenou que o primeiro dissabor do tutelado endurecido por excesso de regalias se convertesse em aflição. Rolando, mentalmente, de aflição em aflição, o homem começou a recolher os valores da paciência, da humildade, do amor e da paz com todos, fazendo-se, então, precioso colaborador do Pai, na Criação.

Finda a historieta, esperou Jesus que Raquel expusesse alguma dúvida, mas emudecendo a servidora, dominada pela meditação que os ensinamentos da noite lhe sugeriam, o culto da Boa Nova foi encerrado com ardente oração de júbilo indefinível.

(do livro "Jesus no Lar", de Francisco Candido Xavier, pelo Espírito Neio Lúcio, FEB).

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Ansiedade: aflição vazia

Ante às dificuldades do cotidiano, exerçamos a
paciência, não apenas em auxílio aos outros, mas
igualmente a favor de nós mesmos.

Desejamos referir-nos, sobretudo, ao sofrimento
inútil da tensão mental que nos inclina à enfermidade
e nos aniquila valiosas
oportunidades de serviço.

No passado e no presente, instrutores do espírito
e médicos do corpo combatem a ansiedade
como sendo um dos piores corrosivos da alma.
De nossa parte, é justo colaboremos com eles,
a benefício próprio, imunizando-nos contra
essa nuvem de imaginação que nos atormenta sem proveito,
ameaçando-nos a organização emotiva.

Aceitemos a hora difícil com a paz do aluno honesto,
que deu o melhor de si, no estudo da lição,
de modo a comparecer diante da prova,
evidenciando consciência tranquila.

Se o nosso caminho tem as marcas do dever cumprido,
a inquietação nos visita a casa íntima
na condição do malfeitor decidido a subvertê-la ou dilapidá-la;
e assim como é forçoso defender a atmosfera do lar
contra a invasão dos agentes destrutivos,
é indispensável policiar o âmbito de nossos pensamentos,
assegurando-lhes a serenidade necessária...

Tensão à face de possíveis acontecimentos lamentáveis
é facilitar-lhes a eclosão,
de vez que a ideia voltada para o mal
é contribuição para que o mal aconteça;
e tensão à frente de sucessos menos felizes
é dificultar a ação regenerativa do bem,
necessário ao reajuste das energias
que desastres ou erros hajam desperdiçado.

Analisemos desapaixonadamente os prejuízos
que nossas preocupações injustificáveis causam aos outros
e a nós mesmos,
e evitemos semelhante desgaste
empregando em trabalho nobilitante
os minutos ou as horas que, muita vez,
inadivertidamente, reservamos à aflição vazia.

Lembremo-nos de que as Leis Divinas,
através de processos de ação visível e invisível da natureza,
a todos nos tratam em bases de equilíbrio,
entregando-nos a elas,
entre as necessidades do aperfeiçoamento
e os desafios do progresso,
com a lógica de quem sabe
que tensão não substitui esforço construtivo,
ante os problemas naturais do caminho.
E façamos isso, não apenas por amor aos que nos cercam,
mas também a fim de proteger-nos contra a hora da ansiedade
que nasce e cresce de nossa invigilância
para asfixiar-nos a alma
ou arrasar-nos o tempo sem qualquer razão de ser.

(Chico Xavier, da obra "Encontro marcado", ditado pelo Espírito Emmanuel).

Amizades e afeições, por Divaldo P. Franco

"766. A vida social está em a Natureza?
Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Não lhe deu inutilmente a palavra e todas as outras faculdades necessárias à vida de relação."
(in "O Livro dos Espíritos", de Allan Kardec).

Não apenas a simpatia como ingrediente único para facultar que os afagos da amizade te adornem e elevem o espírito.

Muito fácil ganhar como perder amigos. Quiçá difícil se apresente a tarefa de sustentar amizades, ao invés de somente consegui-las.

O magnetismo pessoal é fator importante para promover a aquisição de afetos.

Tadavia, se comportamento pessoal não se padroniza e sustenta em diretrizes de enobrecimento e lealdade, as amizades e afeições não raro se convertem em pesada carga, desagradável parceira que culmina em clima de animosidade, gerando futuros adversários.

Nesse particular existem pequenos fatores que não podem nem devem ser relegados a plano secundário, a fim de que sejam mantidas as afeições.

A planta não irrigada sucumbe sob a canícula.

O grão não sepulto morre.

O lume sem combustível se apaga.

A máquina sem graxa arrebenta-se.

Assim, também, a amizade que sem o sustento da cortesia e da gentileza se estiola.

Se desejas preservar teus amigos não creias consegui-lo mediante um curso de etiqueta ou de boas maneiras, com que muitas vezes a aparência estudada, artificial, substitui ou esconde os sentimentos reais. Os impositivos evangélicos que te apliques, ser-te-ão admiráveis técnicas de autenticidade, que funcionam como recurso valioso para a sustentação do bem em qualquer lugar, em toda a situação, com qualquer pessoa.

A afabilidade, a doçura, a gentileza de alguém, aparentemente destituído de simpatia, conseguem propiciar a presença de amigos, retê-los e torná-los afetos puros para sempre. Amizades se desagregam ou se desgastam exatamente após articuladas, no período em que os consórcios fraternos se descuidam de mantê-las.

E isso normalmente ocorre, como consequência de atitudes que se podem evitar:

- o olhar agressivo;
- a palavra ríspida;
- o atendimento hostil ou negligente;
- a lamentação constante;
- a irreverência acompanhada pela frivolidade;
- a irritação contínua;
- a queixa contumaz;
- o pessimismo vinagroso...

Os amigos são companheiros que também têm problemas. Por essa razão se acercam de ti.

Usa, no trato com eles, quanto possível, a bondade e a atenção, a fim de que, um dia, conforme Jesus enunciou: "Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor; mas, tenho-vos chamado amigos, porque vos revelei tudo quanto ouvi de meu Pai", tornando-te legítimo amigo de todos, consequentemente fruindo as bênçãos da amizade e da afeição puras.

(Divaldo Pereira Franco/ Joanna de Ângelis, publicado no informativo espírita "O Consolador", de Monte Azul Paulista/SP - Ano VIII, n. 86, Novembro/2009).

Chico Xavier - Homenagens em comemoração ao Centenário de nascimento do médium

Durante o evento comemorativo ao Centenário de Chico Xavier estarão sendo lançados: livros sobre o médium (“kit”: livro e DVD) e de Orientação aos Órgãos de Unificação, editados pela FEB; livro biográfico sobre o médium, editado pelo Conselho Espírita Internacional - CEI; selo comemorativo pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos; e, Medalha Comemorativa pela Casa da Moeda do Brasil.

(Informações recebidas por e-mail).

Sexo nos Espíritos

          "200. Têm sexo os Espíritos?
          Não como o entendeis, pois que os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na concordância dos sentimentos.

          201. Em nova existência, pode o Espírito que animou o corpo de um homem animar o de uma mulher e vice-versa?
          Decerto; são os mesmos os Espíritos que animam os homens e as mulheres.

          202. Quando errante, que prefere o Espírito: encarnar no corpo de um homem, ou no de uma mulher?
          Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar."


"Os espíritos encarnam como homens ou como mulheres, porque não têm sexo. Visto que lhes cumpre progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, lhes proporciona provações e deveres especiais e, com isso, ensejo de ganharem experiência. Aquele que só como homem encarnasse só saberia o que sabem os homens." (Kardec)

(in "O Livro dos Espíritos", de Allan Kardec - EME).